domingo, 7 de agosto de 2016

DINHEIRO

DINHEIRO
Você censura o dinheiro, como se ele fosse obstáculo intransponível às conquistas imperecíveis do Espírito.
É certo que a fortuna material semeia perigos inúmeros no caminho, mas urge considerar que, de forma semelhante ao poder e à inteligência, a riqueza é valorosa aliada da fraternidade e da paz, da justiça e do progresso, quando:
- suaviza os padecimentos de quantos choram na penúria;
- atenua a aflição dos que cambaleiam de fome;
- converte-se em vestuário aos que caminham desnudos;
- torna-se o remédio abençoado aos que se debatem na dor;
- transforma-se em apoio aos que suportam amargas provações;
- ergue-se em escolas e hospitais, iluminando e amparando;
Acionado por mãos operosas no trabalho correto, concretiza-se em vigorosa alavanca do bem comum.
Observe, pois, que o dinheiro é apenas instrumento do homem, como o homem é instrumento da própria vontade.
Nesse sentido, não é diferente de uma simples lanterna que, dependendo de quem a usa, tanto pode enobrecer a vida, quanto espalhar o sofrimento.
(De “Decisão”, de Antônio Baduy Filho, pelo Espírito André Luiz)

Uma nova Medicina para um novo Milênio

Muito interessante, vamos prestigiar.

terça-feira, 26 de abril de 2016

Palestra "Revisão ou reafirmação do Espiritismo?" com o Dr. Francisco Cajazeiras - Dia 30 de abril de 2016 - sábado - 19:30hs, na Câmara Municipal de Campo Grande-MS

A discussão em torno do aspecto progressista do Espiritismo permeia as preocupações contemporâneas com o futuro da doutrina e, obviamente, implica o pensamento e as práticas que se desenvolvem nos diversos espaços públicos do país, e além destes.

J. Herculano Pires é um nome forte entre os mais presentes ou preocupados com a questão, amparado por uma obra que, se não toca toda ela diretamente na importância desse progresso, sustenta-o à base de reflexões originais imbricadas profundamente no pensamento de Allan Kardec.

Pouco mais de trinta e dois anos após seu retorno àquela que chamamos vida espiritual, sua obra permanece como fonte de consulta e, em muitos momentos, como base para a análise e os estudos de muitos dos que se lançam nesta tarefa de pensar o Espiritismo enquanto doutrina evolutiva.

Dia 30 de abril de 2016 - sábado - 19:30hs, na Câmara Municipal de Campo Grande-MS
A. Ricardo Brandão, 1600 - Chácara Cachoeira
Entrada Gratuita

Herculano Pires viveu entre 1914 e 1979, quando desencarnou em São Paulo. O seu tempo no corpo físico coincidiu com a duração da vida de Allan Kardec: 65 anos incompletos. O prestígio também foi considerável ou exponencial. Sua condição intelectual privilegiada conduziu-o a debruçar-se sobre as diversas áreas do conhecimento espírita e a refletir sobre a importância da contribuição doutrinária para o progresso da humanidade.

Herculano foi poeta, jornalista e escritor, filósofo e educador, conferencista e dirigente. Sua época ficou marcada por diferentes conflitos de ordem doutrinária, seja no campo da comunicação social espírita, seja no interior do próprio movimento espírita, e teve nele um protagonista indiscutível em grande parte desses conflitos.

Por quase todo o século XX, o espiritismo esteve às voltas com o dilema que ficou conhecido como fidelidade doutrinária. Foi esta a resultante de um constante pensar acerca dos princípios espíritas e de suas consequências, aplicabilidade e das práticas nos espaços públicos ocupados pelos centros espíritas.

Concentrada no continente sul-americano, mas também presente com razoável força em nações da América Central e do Norte, a questão da fidelidade doutrinária apresentou características singulares em cada uma destas nações, como já havia ocorrido na França por ocasião dos trabalhos desenvolvidos por Allan Kardec no século XIX.

No México, na Venezuela, na Argentina e no Brasil, obras de escritores vivos e de autores do além despertaram adeptos e contraditores. São exemplos disso, entre inúmeros outros, livros como “A vida de Jesus ditada por ele mesmo”, o laicismo, a tese do espiritismo cristão e da autoridade mediúnica, a religião espírita, a pureza doutrinária, os passes padronizados, como também a tese do corpo fluídico de Jesus.

Estas questões todas perpassam o trabalho intelectual de Herculano Pires e podem ser localizadas em sua extensa bibliografia de mais de oitenta livros.

Sobre o palestrante: Francisco de Assis Carvalho Cajazeiras nasceu na cidade de Fortaleza, estado do Ceará em 14/2/1954. Na literatura espírita tem usado o nome de Francisco Cajazeiras, com os seguintes títulos publicados:
"Depressão, Doença da Alma";
"Bioética – Uma Contribuição Espírita" (Ed. Mnêmio Túlio); 
"Palavras de Vianna de Carvalho", como organizador juntamente com Luciano Klein Filho (Ed. FEEC);
"Evolução da Idéia Sobre Deus" (Editora EME);
"Eutanásia – Enfoque Espírita" (Editora EME);
"Conselhos Mediúnicos" (Editora EME);
"Existe Vida... Depois do Casamento?" (Editora EME).
Entre suas próximas publicações, constam os seguintes títulos: "Elementos de Teologia Espírita", "Curso Básico de Espiritismo" e "Curso Sobre Mediunidade".

Exerce a função de médico clínico geral e cirurgião geral na capital do Ceará e leciona, como professor das disciplinas de "Neuroanatomia" e "Psicofarmacologia", na Universidade de Fortaleza (UNIFOR) e na Faculdade Integrada do Ceará (FIC).
No Movimento Espírita tem participado de diversos Congressos, é expositor espírita com uma agenda de palestras e cursos em casas espíritas.
É fundador e atual presidente do Instituto de Cultura Espírita do Ceará (ICE-CE), fundador e diretor do informativo "Enfoque Espírita" (ICE-CE), sócio-fundador da Associação Médico-Espírita do Ceará (AME-CE), fundador e diretor do Clube do Livro Espírita Mensagem de Amor – CLEMA (Fortaleza), delegado do GED (Grupo de Estudos Doutrinários) no Hospital da Polícia Militar do Ceará (Cruzada dos Militares Espíritas).
No biênio 1995-96, foi vice-presidente da Federação espírita do Estado do Ceará (FEEC).
Médico e professor universitário, o Dr. Francisco Cajazeiras é um dos mais queridos trabalhadores do movimento espírita do Ceará. Militando há muito anos na Doutrina Espírita, o Dr. Cajazeiras é um pesquisador dedicado, autor de vários livros, onde aborda, sempre de forma muito clara e acessível, vários temas de relevância para aqueles que desejam compreender melhor a Doutrina dos Espíritos. Orador de destaque, preocupa-se muito com a divulgação do conhecimento espírita e profere palestras em várias casas espíritas por todo o estado.
Fonte: Editora EME e Candeia

Entrada Gratuita

Depressão doença da alma - Seminário com o Dr. Francisco Cajazeiras - 1º de maio de 2016 - domingo - das 8 as 12 horas

Seminário com o Dr. Francisco Cajazeiras - Dia 1ºde maio de 2016 - Domingo, das 8 as 12 horas

Depressão, Doença da Alma

Sobre o Tema:
Quatrocentos milhões de pessoas no mundo sofrem de depressão, apontam as estatísticas. 
O que é a depressão? Como diagnosticar o mal? Quais as perspectivas futuras? Quais as possibilidades terapêuticas? É possível preveni-la?
O médico Francisco Cajazeiras procura responder a essas perguntas e esclarecer dúvidas sobre esta doença, mergulhando nas suas causas mais profundas – as espirituais –, sem misticismo e sem apelar para o sobrenatural, senão para a lógica e o raciocínio.

Sobre o autor: Francisco de Assis Carvalho Cajazeiras nasceu na cidade de Fortaleza, estado do Ceará em 14/2/1954. Na literatura espírita tem usado o nome de Francisco Cajazeiras, com os seguintes títulos publicados:
"Depressão, Doença da Alma";
"Bioética – Uma Contribuição Espírita" (Ed. Mnêmio Túlio); 
"Palavras de Vianna de Carvalho", como organizador juntamente com Luciano Klein Filho (Ed. FEEC);
"Evolução da Idéia Sobre Deus" (Editora EME);
"Eutanásia – Enfoque Espírita" (Editora EME);
"Conselhos Mediúnicos" (Editora EME);
"Existe Vida... Depois do Casamento?" (Editora EME).
Entre suas próximas publicações, constam os seguintes títulos: "Elementos de Teologia Espírita", "Curso Básico de Espiritismo" e "Curso Sobre Mediunidade".

Exerce a função de médico clínico geral e cirurgião geral na capital do Ceará e leciona, como professor das disciplinas de "Neuroanatomia" e "Psicofarmacologia", na Universidade de Fortaleza (UNIFOR) e na Faculdade Integrada do Ceará (FIC).
No Movimento Espírita tem participado de diversos Congressos, é expositor espírita com uma agenda de palestras e cursos em casas espíritas.
É fundador e atual presidente do Instituto de Cultura Espírita do Ceará (ICE-CE), fundador e diretor do informativo "Enfoque Espírita" (ICE-CE), sócio-fundador da Associação Médico-Espírita do Ceará (AME-CE), fundador e diretor do Clube do Livro Espírita Mensagem de Amor – CLEMA (Fortaleza), delegado do GED (Grupo de Estudos Doutrinários) no Hospital da Polícia Militar do Ceará (Cruzada dos Militares Espíritas).
No biênio 1995-96, foi vice-presidente da Federação espírita do Estado do Ceará (FEEC).
Médico e professor universitário, o Dr. Francisco Cajazeiras é um dos mais queridos trabalhadores do movimento espírita do Ceará. Militando há muito anos na Doutrina Espírita, o Dr. Cajazeiras é um pesquisador dedicado, autor de vários livros, onde aborda, sempre de forma muito clara e acessível, vários temas de relevância para aqueles que desejam compreender melhor a Doutrina dos Espíritos. Orador de destaque, preocupa-se muito com a divulgação do conhecimento espírita e profere palestras em várias casas espíritas por todo o estado.
Fonte: Editora EME e Candeia

Entrada Gratuita


Local: Centro Espírita Caminheiros de Jesus
Rua Alípio de Brito, 600
Bairro: Mata do Segredo, esquina com Av. Dr. Heráclito Figueiredo.

Como chegar ao Centro Espírita Caminheiros de Jesus

domingo, 3 de abril de 2016

Oração pelo Brasil


Senhor!
Tu nos deste o Brasil por pátria de luz para o trabalho!
Ajuda-nos a viver de modo a nos transformarmos nos teus braços no mundo.
Contudo, nesta hora grave, pela qual passa o povo brasileiro, faze com que o Espiritismo nos permita contribuir de forma lúcida e competente.
Então, Senhor, concede-nos o momento para pedirmos por esta nação e, sobretudo, por nossa gente:
- Que nenhum brasileiro seja o símbolo da guerra;
- Que nenhum de nós fomente a discórdia e a desunião;
- Que nas lutas da vida nossas armas sejam a honestidade, a bondade, a dignidade e a força irrefreável do labor;
- Que nossas críticas ferinas sejam transmutadas no apoio moral e na ordem que do alto emana: Pacificai!
- Que as disputas no cenário político sejam um convite à reflexão; e que o refletir traduza a necessidade da ação por meio da disciplina e da democracia conscientes!
Irmãos!
Amemos o Brasil!
Confiemos nas milícias celestes que guiadas pelo Cristo nos inspiram força e coragem!
O poder no mundo é uma experiência na qual poucos triunfam.
Confiemos na bondade mesmo quando os homens dela se esquecerem!
Os espíritos do Senhor nos pedem:
- Amemos a Pátria do Cruzeiro!
Ao soldado importa a batalha.
Somos soldados do Cristo!
Nosso exército, porém, é de luz.
Então, irmãos, ouvi a nossa voz:
- Jovens, levantai e estudai! Usai a vossa inteligência e aplicai a vossa cultura consolando e alterando o panorama social.
- Pais, educai os vossos filhos! Não no consumo que domina, não na permissividade que os transforma em pequenos tiranos, mas na disciplina, no afeto, na negativa e na correção, firme ou fraterna, ajudando-os no rumo certo;
- Professores, assumi as vossas funções e educai;
- Advogados, honrai a vossa tradição e representai a justiça;
- Juízes, agi com probidade fazendo com que os brasileiros confiem em vosso juízo;
- Espíritas, tendes o Evangelho por pérola poderosa; tendes os ensinos de Jesus por fanal portentoso a vos iluminar. Segui confiantes, cooperando com o vosso esforço iluminando o planeta com o vosso exemplo!
Mas, se o Sol for, momentaneamente, obumbrado pelas densas nuvens do testemunho, coragem!
E enquanto vossas lutas purificam a vossa alma, continuai confiantes!
Tendes certeza: por mais trevosa que seja a noite as estrelas mais tênues fazem lume!
Quando em vossas horas de angústia sabei: dos páramos de luz e glória, espíritos celestes, a todos amando, bradam altissonantes:
- Confiai em Jesus!
Eurípedes Barsanulfo 

(Mensagem psicografada pelo médium Emanuel Cristiano em 19/12/2015 durante a Vibração de Natal do Centro Espírita “Allan Kardec” de Campinas/SP).
Emanuel Cristiano é bacharel em Filosofia formado pela PUC-Campinas, onde também concluiu seu mestrado em Ética. Atualmente, trabalha como professor universitário.
Médium desde a infância, educou suas capacidades mediúnicas ainda na adolescência. Desde então, trabalha na seara espírita, realizando palestras no Brasil e no exterior desde 1993.
É fundador e presidente do Centro de Estudos Espíritas Nosso Lar em Campinas, mas mantém vínculos de afeto e trabalho com o Centro Espírita “Allan Kardec”, onde iniciou seus estudos sistematizados da doutrina.
Na literatura, como médium, assinou Aconteceu na Casa Espírita e Bastidores da Mediunidade (do Espírito Nora), e Cartas ao Moço Espírita (do Espírito Wilson Ferreira de Mello), Memórias e Confissões - A Saga de um Espírito Convertido (do Espírito Pietro Augustus), todos da Editora Allan Kardec. É fundador e editor da revista Fidelidade Espírita.

quinta-feira, 19 de novembro de 2015

A Força está na Filosofia...

Viana de Carvalho declarou através da psicografia de Divaldo Franco que o movimento espírita cresce, mas que a doutrina permanece esquecida, quando não mutilada em muitos de seus aspectos.

O movimento espírita tem crescido. Segundo a Encyclopaedia Britannica, em 2005 estimava-se a existência de 10 milhões de espíritas no mundo inteiro. Os dados do IBGE, conforme o censo brasileiro de 2000, apontam para 2.262.401 de espíritas em um total de 169.872.856 brasileiros. Ou seja, 1,33% da população brasileira declara-se espírita.

O Brasil é o país com maior número de profitentes da Doutrina Espírita. O movimento espírita brasileiro, com seus esforços de estudo e divulgação, tem conseguido resultados muito eficientes quanto à aceitação do Espiritismo como religião. A este respeito deve-se considerar as informações do relatório do censo, conforme o sítio do próprio IBGE:

“Segundo a publicação, entre as religiões mais numerosas, os espíritas apresentaram os melhores indicadores, tanto de escolaridade (98,1% são pessoas de 15 anos ou mais de idade alfabetizadas), como de rendimento: 8,4% deles ganhavam mais de 20 salários mínimos, enquanto para o total da população, apenas 2,7% tinham esse rendimento. Entre aqueles que ganhavam até 1 salário mínimo, os espíritas tinham a menor proporção (7,9%).”

Vê-se que o Espiritismo tem alcançado com mais intensidade as camadas mais esclarecidas da sociedade.

O movimento espírita, como esforço humano para o estudo, a vivência e a divulgação do Espiritismo, tem contribuído para estes resultados. Entretanto devemos considerar os resultados efetivos destes números para a verdadeira contribuição que o Espiritismo deve desempenhar na Terra. Segundo Allan Kardec, o codificador, “pelo Espiritismo a humanidade deve entrar numa nova era de progresso moral, que lhe é conseqüência inevitável” – declara ele na conclusão de O Livro dos Espíritos. E consoante este propósito, é justo perguntar:

Como está o entendimento e a vivência do Espiritismo?

Em diferentes localidades, temos encontrado companheiros do movimento espírita preocupados com as atitudes e posturas de muitos espíritas que – estranhamente – conflitam com os preceitos doutrinários recomendados pelo Espiritismo. São atitudes de conflito desnecessárias, posturas de absolutismo em pontos de crença, segmentação do conhecimento espírita, retirando-lhe a integridade científico-filosófico-religiosa caracterizada em seus fundamentos; desconhecimento dos fundamentos teóricos doutrinários e conseqüentes práticas mediúnicas equivocadas, etc. Atônitos ante os descalabros de ações – que mais atrapalham que auxiliam, vimos companheiros de lide espírita a se perguntar o que está ocorrendo...

Em nossa visão a resposta é clara: como movimento estamos apostando numa estratégia equivocada: Salientamos a riqueza do tesouro, mas raros sabemos do que se trata!

Novamente recuperamos a palavra de Allan Kardec:

“Falsíssima idéia formaria do Espiritismo quem julgasse que a sua força lhe vem da prática das manifestações materiais e que, portanto, obstando-se a tais manifestações, se lhe terá minado a base. Sua força está na sua filosofia, no apelo que dirige à razão, ao bom-senso.”

O Espiritismo é doutrina educativa. Nasce como esforço educacional que emana dos Espíritos e tem por propósito a renovação da cultura humana pela compreensão de que o Espírito não é uma entidade sobrenatural, mas uma das potências da natureza. A principal implicação deste fato é a revisão dos arcabouços da ciência, pela introdução de um novo conceito estrutural – a saber, o espírito como elemento inteligente do universo. Considerando a ação do espírito no Universo, a ciência renova-se em suas percepções e explicações. Daí decorre toda uma nova formulação sobre o Mundo, sobre a explicação dele. Esta formulação ocorre no entendimento humano, renovado pelo conhecimento revelado pelos Espíritos, e necessariamente ponderado pelo crivo da razão humana.

Mas como construir um novo modelo sobre o mundo sem conhecer os elementos que fundamentam tal construção? Em outras palavras: como ver o mundo através da doutrina espírita sem entender a própria doutrina espírita? Como adotar atitudes conseqüentes da fé raciocinada – aquela que pode encarar a razão face a face – sem que a razão tenha sido preparada para debruçar-se sobre as graves questões da Vida?

A força do Espiritismo está em sua filosofia... E é por isto que devemos empregar nosso tempo por estudá-lo, por refleti-lo, por meditá-lo... Sem este esforço não alcançaremos qualquer resultado efetivo.

E ante a exigüidade do tempo que a atual existência nos coloca, como alunos matriculados na escola que devem aproveitar o ano letivo, refletimos sobre a conclamação de André Luiz, em sua obra mais famosa, Nosso Lar:

“Irmãos que estais na Terra... Acendei vossas luzes antes de atravessardes o portal da Grande Sombra! Buscai a Verdade antes que ela vos surpreenda! Suai agora, para não chorardes depois...”

André Henrique de Siqueira
Brasília, outubro de 2007
André Henrique de Siqueira é Doutor em Ciência da Informação pela UnB e bacharel em Ciência da Computação pela UFRN, é especializado em Arquitetura da Informação. Em 1996 publicou um dos primeiros sites espíritas no Brasil. Desde 1979 atua como evangelizador e coordenador de grupos de estudos sistematizados do Espiritismo. Tem mantido uma agenda de palestras sobre a temática espírita por todo o país. É servidor público federal no Banco Central do Brasil, professor em diferentes cursos de Pós-Graduação Lato e Strito Senso e cooperador do Espiritismo.Net desde 2001.

Palestra - A morte do paradigma materialista: uma nova concepção espiritual proferida por André Henrique de Siqueira


A palestra será transmitida ao vivo, proferida por André Henrique de Siqueira, Doutor em Ciência da Informação pela UnB e bacharel em Ciência da Computação pela UFRN, é especializado em Arquitetura da Informação. Em 1996 publicou um dos primeiros sites espíritas no Brasil. Desde 1979 atua como evangelizador e coordenador de grupos de estudos sistematizados do Espiritismo. Tem mantido uma agenda de palestras sobre a temática espírita por todo o país. É servidor público federal no Banco Central do Brasil, professor em diferentes cursos de Pós-Graduação Lato e Strito Senso e cooperador do Espiritismo.Net desde 2001.
Data: 19/11/2015 - 4ª feira
Local: Instituto de Cultura Espírita de Mato Grosso do Sul - ICEMS
Rua 26 de agosto, 850 - Centro (em frente ao SESC Horto)
Campo Grande-MS
Realização: ABRAPE-MS e AME-MS

segunda-feira, 26 de outubro de 2015

Palestra: A morte na visão espírita

Palestra: A morte na visão espírita
Dia 2 de novembro de 2015 - sábado - 10 horas
No Cemitério Parque das Primaveras
Av. Senador Filinto Muller, 2.211 - Jardim Parati
Campo Grande-MS
Realização: Federação Espírita de Mato Grosso do Sul

segunda-feira, 19 de outubro de 2015

A Doutrina Espírita tem um caráter eminentemente pedagógico

Essa entrevista foi realizada em 2008 pelo nosso amigo Orson Peter Carrara para a revista semanal O Consolador, com o Pedagogo Walter Oliveira Alves, mas é sempre atual. Apenas atualizei os links.
Vale a pena ler.
Abraço a todos
Ronaldo


A Doutrina Espírita tem um caráter eminentemente pedagógico
Uma visão da educação por parte de um pedagogo espírita,
que diz ser urgente investir na Casa Espírita auxiliando
o preparo psicopedagógico dos trabalhadores da
área infanto-juvenil e das demais áreas
Formado em Pedagogia, Filosofia e História da Educação e Psicologia da Educação e Didática, Walter Oliveira Alves é diretor do IDE – Instituto de Difusão Espírita, de Araras (SP), cidade onde nasceu e reside.
Espírita há 35 anos, palestrante e escritor, são de sua autoria os seguintes livros, todos publicados pelo IDE: Deus, Nosso Pai (voltado para a criança), Educação do EspíritoIntrodução ao Estudo da Pedagogia EspíritaPrática Pedagógica na Evangelização (vols. I, II e III) e O Teatro na Educação do Espírito.
De sua dedicação à educação, nasceram o conhecido      Encontro      Anual         de
Evangelização, os dinâmicos sites de pedagogia e a Revista Pedagógica Espírita, assuntos sobre os quais Walter concedeu-nos a seguinte entrevista:


O Consolador: De onde seu interesse pela Pedagogia? E como entender a Pedagogia Espírita?

Meu interesse pela pedagogia vem desde criança. Sempre quis ser professor. Mas o interesse aumentou quando do meu contato com a Doutrina Espírita. Entendemos por Pedagogia em geral, e especialmente por Pedagogia Espírita, a ciência e a arte da educação, o processo através do qual se desenvolve o "germe" da perfeição no íntimo de cada um, Espíritos imortais que somos, filhos e herdeiros de Deus. É o desenvolvimento gradual e progressivo das potências da alma, através do exercício do amor e do conhecimento da verdade, verdade relativa ao nosso estado evolutivo, ou seja, das leis que regem nossas vidas e principalmente do  "conhecimento de si mesmo". A Pedagogia Espírita representa o retorno do AMOR e da VERDADE UNIVERSAL ao cenário pedagógico da humanidade através da coragem de expressar essa verdade sem preconceitos, sem meias verdades, como fez Eurípedes Barsanulfo.

O Consolador: Foi a experiência com os Encontros Anuais para formação de Evangelizadores, em Araras, que culminou com o lançamento da Revista Pedagógica Espírita?
A idéia de criar a Revista Pedagógica Espírita, bem como o site http://www.pedagogiaespirita.net.br/,  nasceu em Nova York, por ocasião de nossa viagem aos Estados Unidos, num ciclo de seminários e palestras sobre Educação Espírita. Por isso, o site ou portal Pedagogia Espírita tem caráter internacional. Hoje, a Revista Pedagógica Espírita conta com colaboradores de várias partes do mundo, Estados Unidos, Brasil e vários países da Europa.

O Consolador: De onde surgiu a iniciativa dos já tradicionais Encontros de Evangelizadores, em Araras, sempre realizados durante os feriados de carnaval?
O Encontro no período do carnaval começou há 23 anos, devido a necessidade de preparar evangelizadores em nossa região. Nos primeiros anos atendia apenas a região de São Paulo, depois estendeu-se a todo o Brasil e a alguns confrades de outros países.

O Consolador: Os sites vinculados à publicação que estréia já estão ativos? Cite-os por favor e apresente um resumo deles.
Nascido em Nova York, o site http://www.pedagogiaespirita.net.br/  tem o objetivo de auxiliar os educadores espíritas, em especial os evangelizadores. Consta de vários itens como: 1. Revista Pedagógica Espírita; 2. Escola Virtual, com cursos on-line gratuitos; 3. Evangelização, com link para o site abaixo; 4. Escola Espírita, correspondendo a estudos sobre a aplicação pedagógica em uma escola genuinamente espírita e 5. TV Educar - uma TV pela internet voltada para a educação que deverá ser ativada apenas em meados deste ano. O site http://www.pedagogiaespirita.net.br/ é voltado para auxiliar o trabalho do evangelizador espírita.

O Consolador: Como são organizados os encontros anuais em Araras? Qual o critério e quais as didáticas aplicados?
Os encontros são organizados por uma equipe pedagógica e visa oferecer embasamento teórico e subsídios para a prática pedagógica na Evangelização, bem como oficinas de artes: música, teatro, dança, artes plásticas e literatura infantil.

O Consolador: Como você tem visto pelo país a aplicação da pedagogia espírita nas instituições?
A nosso ver, a Doutrina Espírita tem um caráter eminentemente pedagógico. Ao apresentar o homem como um Espírito em um processo evolutivo, num constante "vir-a-ser", desenvolvendo gradualmente as potências da alma, o "germe da perfeição" ou o Reino a que se referiu Jesus, a Doutrina Espírita se torna um roteiro pedagógico para toda a humanidade. Faz renascer o Evangelho de Jesus em toda a sua pureza primitiva, como bem citado por Kardec em O Evangelho segundo o Espiritismo, e, ao mesmo tempo, oferece novos conhecimentos que Jesus, como Mestre por excelência, não poderia naquela ocasião ensinar, devido ao grau evolutivo dos "alunos" da época. Nesse sentido, a Pedagogia Espírita está presente hoje na mente e no coração dos educadores espíritas, sejam professores, evangelizadores ou pais. Está presente nos jovens e adultos que labutam na evangelização infanto-juvenil, que palestram nas Casas Espíritas, que participam dos grupos de estudos, nas atividades assistenciais exercitando e exemplificando o amor ao próximo.   

O Consolador: Uma das grandes dificuldades do movimento espírita tem sido o preparo – ou o despreparo – de trabalhadores nessa área (infância e mocidade), especialmente o desinteresse de muitos dirigentes para a essencial questão. Como vencer isso?
O progresso se faz lentamente, mas está ocorrendo. Exatamente por não ser elitista, a pedagogia espírita amplia seus estudos em todos os campos do saber humano. Mas hoje é urgente investir na Casa Espírita, auxiliando o preparo psicopedagógico dos trabalhadores, não só da infância e juventude, mas de todas as áreas.  A Casa Espírita representa hoje a Escola Espírita em toda a sua simplicidade, beleza e dinamismo, oferecendo as bases para a construção do conhecimento dentro de cada um, da divulgação da VERDADE UNIVERSAL, ou seja, desse conhecimento que liberta a alma de preconceitos e dogmas e, ao mesmo tempo, incentiva a prática do AMOR.  

O Consolador: Qual a melhor dica para prender a atenção da criança e transmitir o ensino espírita?
A educação, em seu aspecto global, não se limita ao ensino espírita. O conhecimento é necessário e indispensável, mas não suficiente. A Educação do Espírito tem como objetivo o desenvolvimento integral do Espírito, as potências da alma, em todos os aspectos,  intelectual (aspecto cognitivo),  moral e afetivo (aspecto afetivo) e na vontade (aspecto volitivo). O próprio conhecimento que a Doutrina Espírita oferece, de forma clara, dentro da estrutura deixada por Allan Kardec, a partir de O Livro dos Espíritos, é tremendamente atrativo para as crianças e especialmente para os jovens. Temas como reencarnação, imortalidade da alma, lei de causa e efeito, pululam por toda parte, nos filmes, documentários e até mesmo nas novelas da televisão. 
A Casa Espírita tem, pois, o objetivo de esclarecer, de tirar dúvidas e oferecer esse conhecimento de forma autêntica e profunda, através das obras de Kardec e demais obras espíritas, psicografadas ou não. Mas a criança, o jovem e todos nós aprendemos vivenciando, em seu aspecto intelectual, afetivo e volitivo. Deve-se trabalhar o "querer", o sentimento e o intelecto, de forma integrada. Vemos isso em Pestalozzi quando afirma que a criança deve ser estimulada na inteligência, no sentimento e nos sentidos (método intuitivo). Alias, é de Pestalozzi a melhor definição de educação, que pode muito bem ser utilizada por todos nós:  a educação é "o desenvolvimento natural, progressivo e harmonioso de todos os poderes e faculdades do ser".

O Consolador: Qual a importância da arte (música, teatro, dança, artes plásticas e atividades pedagógicas) na educação do Espírito?
A arte exerce enorme influência tanto no aspecto afetivo como no aspecto volitivo. Como atividade criadora por excelência, vem ao encontro das necessidades de movimento, expansão e ação das crianças, jovens e adultos. Não apenas ação motora, mas os movimentos intensos da própria alma na expansão profunda do sentir e do querer. À Educação Espírita cabe a tarefa de conduzir essa criatividade para os canais superiores da vida.

O Consolador: Para quem está distante e não tem oportunidade ou recurso para participar de eventos de preparo e reciclagem como os realizados em Araras, mas possui dentro de si muito amor e boa vontade, que recursos você indica para tornar as aulas agradáveis e atraentes?
Sugerimos acessar o site http://www.pedagogiaespirita.net.br/, no qual são ministrados alguns cursos gratuitamente. O participante poderá também participar da lista pedagogia espírita, ampliando assim, através de trocas de idéias, estudos e prática, a sua visão da educação em seu aspecto integral: a educação do Espírito.

O Consolador: Para quem quiser assinar a revista, quais os contatos? Ela é uma publicação voltada para a prática pedagógica, como indica seu título?
Ela é voltada tanto para a teoria como para a prática. A assinatura poderá ser feita no site http://www.pedagogiaespirita.net.br/

Comemoração ao Mês de Kardec 2015 com Ana Jaicy Guimarães em Campo Grande-MS - Palestra: Perturbações do cotidiano e Seminário: Penas e recompensas

Programação:


31/10/2015 - sábado - 19h30m
Palestra: Perturbações do cotidiano

01/11/2015 - domingo - 8h30m
Seminário: Penas e recompensas

Local:

na Câmara Municipal de Campo Grande
Av. Ricardo Brandão, 1600 - Jatiúca Park
Campo Grande-MS

Palestrante:

Ana Jaicy Guimarães é Professora, médium e oradora espírita há mais de 30 anos, tendo realizado palestras, seminários e conferências em todo Brasil, Índia e Estados Unidos. É Diretora do Centro Espírita Caminho da Esperança, no Rio de Janeiro-RJ.

Realização:

Os eventos são uma realização do Instituto de Cultura Espírita de Mato Grosso do Sul com apoio da Federação Espírita de Mato Grosso do Sul.

Os eventos são gratuitos e públicos.

segunda-feira, 22 de junho de 2015

Palestra: Penas Eternas ou Penas Duráveis - Dia 04/07/2015 - 19:30hs Local: Centro Espírita Discípulos de Jesus


Dia 04/07/2015 - 19:30hs
Local: Centro Espírita Discípulos de Jesus
Rua Maracaju, 244 - Centro
Campo Grande - MS
Telefone: (67) 3321-9554
Sandra Borba Pereira é Professora Doutora em Fundamentos da Educação, pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Presta sua colaboração ao Quadro de Voluntários da Federação Espírita Brasileira, em cursos de formação, sobretudo, na área da evangelização espírita infanto-juvenil. Pela Federação Espírita do Paraná, lançou três livros: Reflexões pedagógicas à luz do Evangelho, em 2009; Saberes necessários à Evangelização Infanto-Juvenil (esse em coautoria com Cláudia Farache) e Cotidiano em reflexões espíritas, em 2014. Articulista, expositora e evangelizadora espírita, é atualmente diretora do Departamento de Infância e Juventude da Federação Espírita do Rio Grande do Norte e assessora da área de Evangelização Infantil da Região Nordeste, junto à Federação Espírita Brasileira.

Encontro Estadual de Evangelizadores e Monitores da Área de Estudos - dias 4 e 5 de julho de 2015 - no Centro Espírita Caminheiros de Jesus, Chácara Estrela do Sul - Campo Grande-MS

A Federação Espírita de Mato Grosso do Sul -  FEMS, realizará nos dias 4 e 5 de julho de 2015,  o Encontro Estadual de Evangelizadores e Monitores da Área de Estudos.
O evento, que será desenvolvido por Sandra Borba Pereira e Miriam Dusi em forma de seminário, acontecerá no Centro Espírita Caminheiros  de Jesus, Chácara Estrela do Sul, com início no sábado às 8h30 e término no domingo às 11h30.

Contamos com a presença de todos para que, juntos, possamos aprimorar e fortalecer a tarefa de evangelização espírita de crianças, jovens e adultos em nosso Estado.
As vagas são limitadas e a inscrição terá um custo de R$ 20,00. A ficha de inscrição poderá ser solicitada via e-mail: fems@fems.org.br

Sandra Borba Pereira é Professora Doutora em Fundamentos da Educação, pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Presta sua colaboração ao Quadro de Voluntários da Federação Espírita Brasileira, em cursos de formação, sobretudo, na área da evangelização espírita infanto-juvenil. Pela Federação Espírita do Paraná, lançou três livros: Reflexões pedagógicas à luz do Evangelho, em 2009; Saberes necessários à Evangelização Infanto-Juvenil (esse em coautoria com Cláudia Farache) e Cotidiano em reflexões espíritas, em 2014. Articulista, expositora e evangelizadora espírita, é atualmente diretora do Departamento de Infância e Juventude da Federação Espírita do Rio Grande do Norte e assessora da área de Evangelização Infantil da Região Nordeste, junto à Federação Espírita Brasileira.

Miriam Dusi atua junto à evangelização de crianças e jovens e entende o livro espírita como precioso tesouro para esclarecer os corações e as mentes infantojuvenis. É psicóloga com especialização em psicopedagogia e mestrado na área de desenvolvimento humano. Autora da obra: A Grande Viagem, publicada pela Edicei Editora, e coordenadora de Sublime Sementeira: a evangelização infantojuvenil, publicada pela FEB Editora.

sábado, 20 de junho de 2015

Como manter o Espiritismo

"É indispensável manter o Espiritismo, qual foi entregue pelos Mensageiros Divinos a Allan Kardec, sem compromissos políticos, sem profissionalismo religioso, sem personalismos deprimentes, sem pruridos de conquista a poderes terrestres transitórios." 
Bezerra de Menezes, psicografia de Francisco Cândido Xavier.

Essa mensagem não é recente, mas é sempre atual e leva-nos a reflexões importantes. Abaixo a mensagem completa recebida pelo médium Francisco Cândido Xavier, em reunião da Comunhão Espírita Cristã, em 20 de abril de 1963, em Uberaba, MG, transcrita na revista Reformador, da Federação Espírita Brasileira, de dezembro de 1975 e republicada na Reformador de agosto de 2011, sob o título Unificação.

Unificação
O serviço da unificação em nossas fileiras é urgente mas não apressado. Uma afirmativa parece destruir a outra. Mas não é assim. É urgente porque define objetivo a que devemos todos visar; mas não apressado, porquanto não nos compete violentar consciência alguma. Mantenhamos o propósito de irmanar, aproximar, confraternizar e compreender, e, se possível, estabeleçamos em cada lugar, onde o nome do Espiritismo apareça por legenda de luz, um grupo de estudo, ainda que reduzido, da Obra Kardequiana, à luz do Cristo de Deus.
Nós que nos empenhamos carinhosamente a todos os tipos de realização respeitável que os nossos princípios nos oferecem, não podemos esquecer o trabalho do raciocínio claro para que a vida se nos povoe de estradas menos sombrias.
Comparemos a nossa Doutrina Redentora a uma cidade metropolitana, com todas as exigências de conforto e progresso, paz e ordem. Indispensável a diligência no pão e no vestuário, na moradia e na defesa de todos; entretanto,
não se pode olvidar o problema da luz. A luz foi sempre uma preocupação do homem, desde a hora da furna primeira. Antes de tudo, o fogo obtido por atrito, a lareira doméstica, a tocha, os lumes vinculados às resinas, a candeia e, nos tempos modernos, a força elétrica transformada em clarão.
A Doutrina Espírita possui os seus aspectos essenciais em configuração tríplice. Que ninguém seja cerceado em seus anseios de construção e produção. Quem se afeiçoe à ciência que a cultive em sua dignidade, quem se devote à filosofia
que lhe engrandeça os postulados e quem se consagre à religião que lhe divinize as aspirações, mas que a base kardequiana permaneça em tudo e todos, para que não venhamos a perder o equilíbrio sobre os alicerces em que se nos levanta a organização.
Nenhuma hostilidade recíproca, nenhum desapreço a quem quer que seja. Acontece, porém, que temos necessidade de preservar os fundamentos espíritas, honrá-los e sublimá-los, senão acabaremos estranhos uns aos outros, ou então cadaverizados em arregimentações que nos mutilarão os melhores anseios, convertendo-nos o movimento e libertação numa seita estanque, encarcerada em novas interpretações e teologias, que nos acomodariam nas conveniências do plano inferior e nos afastariam da Verdade.
Allan Kardec, nos estudos, nas cogitações, nas atividades, nas obras, a fim de que a nossa fé não se faça hipnose, pela qual o domínio da sombra se estabelece sobre as mentes mais fracas, acorrentando-as a séculos de ilusão e sofrimento.
Libertação da palavra divina é desentranhar o ensinamento do Cristo de todos os cárceres a que foi algemado e, na atualidade, sem querer qualquer privilégio para nós, apenas o Espiritismo retém bastante força moral para se não
prender a interesses subalternos e efetuar a recuperação da luz que se derrama
do verbo cristalino do Mestre, dessedentando e orientando as almas. Seja Allan Kardec, não apenas crido ou sentido, apregoado ou manifestado, a nossa bandeira, mas suficientemente vivido, sofrido, chorado e realizado em nossas próprias vidas. Sem essa base é difícil forjar o caráter espírita-cristão que o mundo conturbado espera de nós pela unificação.
Ensinar, mas fazer; crer, mas estudar; aconselhar, mas exemplificar; reunir, mas alimentar. Falamos em provações e sofrimentos, mas não dispomos de outros veículos para assegurar a vitória da verdade e do amor sobre a Terra. Ninguém edifica sem amor, ninguém ama sem lágrimas.
Somente aqui, na vida espiritual, vim aprender que a cruz de Cristo era uma estaca que Ele, o Mestre, fincava no chão para levantar o mundo novo. E para dizer-nos em todos os tempos que nada se faz de útil e bom sem sacrifíciosmorreu nela. Espezinhado, batido, enterrou-a no solo, revelando-nos que esse é o nosso caminho – o caminho de quem constrói para Cima, de quem mira os continentes do Alto.
É indispensável manter o Espiritismo, qual foi entregue pelos Mensageiros Divinos a Allan Kardec, sem compromissos políticos, sem profissionalismo religioso, sem personalismos deprimentes, sem pruridos de conquista a poderes terrestres transitórios.
Respeito a todas as criaturas, apreço a todas as autoridades, devotamento ao bem comum e instrução do povo, em todas as direções, sobre as Verdades do espírito, imutáveis, eternas.
Nada que lembre castas, discriminações, evidências individuais injustificáveis, privilégios, imunidades, prioridades.
Amor de Jesus sobre todos, verdade de Kardec para todos.
Em cada templo, o mais forte deve ser escudo para o mais fraco, o mais esclarecido a luz para o menos esclarecido, e sempre e sempre seja o sofredor o mais protegido e o mais auxiliado, como entre os que menos sofram seja o maior aquele que se fizer o servidor de todos, conforme a observação do Mestre Divino.
Sigamos para a frente, buscando a inspiração do Senhor.
BEZERRA
(Mensagem recebida pelo médium Francisco Cândido Xavier, em reunião da Comunhão Espírita Cristã, em 20-4-1963, em Uberaba, MG, transcrita de Reformador de dezembro de 1975, p. 275.)

terça-feira, 27 de janeiro de 2015

Palestra e noite de autógrafos com Wellerson Santos - Livro: Sob a Luz do Evangelho, no auditório do Sebrae, Campo Grande-MS, dia 30/01 - 19:30hs

Será uma noite de confraternização, arte e cultura espírita!
Além do lançamento do livro Sob a Luz do Evangelho, haverá a apresentação de gala do Coral Espírita Irmã Scheilla, de Belo Horizonte, com participação do Coral Espírita Scheilla, de Campo Grande. A renda do livro será revertida para a Fraternidade Sem Fronteiras.
A ONG está atendendo mais de 1000 crianças órfãs em Moçambique, África.

Palestra com Décio Iandoli Jr em Campo Grande, dia 31/01, sábado, 18:30hs - Centro Espírita Casa do Caminho


terça-feira, 6 de janeiro de 2015

Aíla Luzia Pinheiro de Andrade faz palestras em Campo Grande nesse final de semana

Aíla Luzia Pinheiro de Andrade possui graduação em Licenciatura em Filosofia pela Universidade Estadual do Ceará (1998), graduação em Bacharelado em Teologia pela Faculdade Jesuíta de Filosofia e Teologia (2000), mestrado (2003) e doutorado (2008) em Teologia pela Faculdade Jesuíta de Filosofia e Teologia. Tem experiência na área de Teologia, com ênfase em Carta Aos Hebreus, atuando principalmente nos seguintes temas: Messianismo, Philon de Alexandria, Flávio Josefo, Judaísmo, Targum, Midrash, Talmud.
É professora na Universidade Católica de Fortaleza e pesquisa muito sobre o Egito, Mesopotâmia e Israel. 
Para ver a programação clique na imagem abaixo.


sábado, 25 de outubro de 2014

Convite da FEMS para Palestra e Seminários do Dr. Alberto Almeida, dias 1º e 2 de novembro em Campo Grande-MS

Alberto Almeida nasceu em Belém (PA).
É médico homeopata e terapeuta com formação em Psicologia Transpessoal, Terapia Sistêmica Familiar e Terapia Regressiva a Vivências Passadas.
É um dos oradores espíritas mais requisitados nas conferências que são realizadas por todo o território nacional.

Não estrague o seu dia


sábado, 27 de setembro de 2014

As novas formações familiares

Há cerca de 20 anos, ocorreu numa casa espírita fluminense o seguinte episódio: um expositor fazia uma palestra sobre família. Em dado momento, ele disse que se há só a mãe e o filho, não é uma família. Faltava um elemento: o pai. Por isso, mãe e filho não bastavam para formar uma família. No momento em que ele dizia isso, uma moça, mãe solteira que ia a um centro espírita pela primeira vez, entrava para assistir à palestra e ficou em pé, olhando para ele, extremamente incomodada com o que ouvira. E com toda razão. Afinal, ela e o filho, se não eram uma família, seriam o que, então? 

Semanas depois, num treinamento interno, esse e todos os outros expositores foram devidamente orientados a não fazer esse tipo de comentário. Afinal, a ausência da figura paterna não desqualifica uma família. O tempo passou, e pesquisas recentes traduzem em dados o que todos já sabem: o perfil da família mudou. 

O educador e expositor espírita Álvaro Chrispino, em um seminário intitulado “O Espírita do século 21”, chama atenção, entre outros tópicos, para a necessidade de o espírita estar cada vez mais preparado para receber famílias comandadas por mães solteiras e pais solteiros, crianças criadas por avós, casais homossexuais que levam uma vida digna e resolveram adotar uma criança... 

Durante muito tempo, nos acostumamos a crer que família são pai, mãe, filhos e demais parentes. Quando muitos casais começaram a se separar e outras tantas pessoas (mulheres e homens) optaram por ter filhos sozinhas, pensou-se: – Meu Deus, a família acabou! Ledo engano. O conceito de família é que está se ampliando. 

A “Revista O Globo”, de 12 de outubro de 2008, traz, em reportagem de capa, a história do médico Sérgio D’Agostini, um bem-sucedido homem solteiro de 43 anos, morador da Zona Sul carioca. Sérgio adotou um menino recém-nascido, filho de uma moradora de rua, portador de várias doenças herdadas dos pais. Em três tempos, pôs a vida do garoto em dia, mas pôs a sua de cabeça para baixo e descobriu a saudável rotina de ser pai solteiro. A reportagem cita, ainda, que já havia 80 homens solteiros na fila da adoção. Homens que têm todo o direito de serem chamados de família quando estiverem cuidando de seus filhos adotivos. 

A pergunta 775, de O Livro dos Espíritos, de Allan Kardec, diz: “Qual seria, para a sociedade, o resultado do relaxamento dos laços de família?”. Resposta: “Um agravamento do egoísmo.” Veja bem, laços de família. Há mais de uma forma de dar esse laço firme. E achar que só existe um tipo de família (pai, mãe e filhos) e torcer o nariz para quem não se enquadra nesse padrão é contribuir para o agravamento do egoísmo.   
Casamentos entre homem e mulher com nascimento de filhos sempre haverá. E fazemos votos que sejam casamentos felizes. Mas o andar da carruagem humana está mostrando que há outros modelos de família. E se há, é porque pessoas que não se enquadram naquilo que se convencionou como padrão querem ser solidárias, dar amor, conduzir uma criança pela vida... 

Como fazemos parte da grande família humana, ajudemos para que essas novas formações familiares sejam bem acolhidas na casa espírita. 


Artigo publicado em O Consoladornº 131, de 10 de novembro de 2009. O autor, Marcelo Teixeira é expositor espírita, dirigente do Departamento de Divulgação da União Municipal Espírita de Petrópolis (UMEP), jornalista e publicitário.